quinta-feira, 4 de março de 2010

Onde te leva a imaginação?

No âmbito da actividade Onde te leva a imaginação?, inserida na Comemoração da Semana da Leitura, os alunos da turma do Curso de Operador(a) de Sistemas Ambientais (Tipo 3) produziram, divididos em pequenos grupos, no passado dia 3 de Março, no decorrer da aula de Cidadania e Mundo Actual, breves narrativas a partir de títulos de algumas obras.
O texto mais criativo, sugerido pelo título de uma obra de P. C. Cast e Kristin Cast, Marcada, foi construído pelas alunas Paula Teixeira, Fátima Meireles e Fátima Moura.

A Joana, uma jovem de doze anos, viveu o seu primeiro amor muito cedo. Frequentava o sétimo ano de escolaridade quando se apaixonou perdidamente por um rapaz da sua idade. A Joana pensava que aquele rapaz seria o amor da sua vida.
Sempre que a Joana caminhava pela escola com as suas amigas, tendo brincadeiras próprias das suas idades, cruzava-se com esse rapaz, que não era da sua turma. Olhavam-se muito.
Um dia, ela ganhou coragem e falou com ele. Tornaram-se grandes amigos, mas a Joana queria mais do que uma simples amizade. Contudo, ele não percebia ainda o que ela realmente queria.
Foram convivendo cada vez mais até que, um dia, ela confessou o amor que nutria por ele. Ele ficou estupefacto, pois não estava à espera que ela confessasse tal coisa. Atrapalhado, não sabia o que falar. Num impulso, a Joana beijou-o e ele gostou. Seguiu-se um pedido de namoro. Feito pela Joana. Ele aceitou no dia seguinte e ela ficou radiante. Durante algum tempo, eles namoraram e foram felizes.
Um dia, separaram-se porque ele lhe disse que amava outra pessoa. A Joana ficou muito magoada.
Passado algum tempo, a Joana, já com vinte e cinco anos, tinha outro namorado e parecia feliz. Porém, o rapaz que ela amara reapareceu na sua vida e ela surpreendeu-se porque, no fundo, ainda o amava. Ele implorou que o perdoasse, mas ela não conseguiu.
A Joana chorou muito porque ficou marcada por aquele rapaz que conheceu na escola e amou. E que nunca esquecerá. Ficou marcada para sempre.

Sem comentários:

Enviar um comentário