segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Concurso Faça lá um poema

regulamento Faça lá um poema




Os poemas seleccionados e enviados para o Concurso foram os seguintes:


DESABAFOS

Aqui, nestas letras imensas,
liberto a minha dor
e apago a mágoa.
Decidi finalmente abandonar a solidão...
Alimentar-me de ilusões e esperanças,
saborear os gestos de carinho e ternura,
respirar saudades infinitas,
tentando não morrer pela mágoa dos que me julgam.
Mas não importa os que me criticam,
pois, esses… que pensem no que quiserem,
cobicem os meus valores,
falem do meu ser,
invejem os meus interesses
e desejem a minha pessoa.
Mas nunca serão quem eu sou!
Pois, quem eu sou de verdade,
apenas tu conheces…
Como?
Eu e tu desconhecidos.
E naquela noite conhecíamo-nos num íntimo impressionante!
Puxavas para junto de ti o meu corpo…
Acelerados, partimos à descoberta dos seres.
O frio apertava…
Sentia o corpo tremer…sem razão!
Era real… não era imaginado nem sonhado!
Às vezes, penso nos momentos do tempo
em que nos desejávamos e amávamos infinitamente,
Desde o nascer do Sol até ao luar mais intenso!
Aí… era como se eu fosse novamente criança!
A inocência intensificava os nossos corpos
que tremiam de paixão ardente!
Agora… restam cinzas desse calor
que nos levava além do arco-íris!
Hoje ainda sonho contigo,
recordando todo o sexo que foi amor
e todo o amor que foi prazer!
Por todos os momentos que continuam
na máquina fotográfica da minha memória,
eu venero-te!

Ana Alexandra Rodrigues - 3.º TPA



UMA CARTA DE AMOR

És a mais linda de todas!
O teu ser te faz assim.
És como as preciosidades da Terra,
tens um aroma a jasmim.

Os teus preciosos olhos
demonstram pureza e inocência.
És como uma rosa perfeita
que não perde a sua essência.

Gosto de te ouvir cantar.
Faz-me lembrar os passarinhos.
Ouvir-te, dá-me calma e paz
e uma enorme vontade de te encher de beijinhos.

Beija-me com os teus lábios,
pois o melhor é o teu amor,
mais que qualquer outra coisa
ou fonte de calor.

Suave é o doce aroma do teu cabelo
que facilmente paira no ar.
Esse é um dos motivos
por que me estou a apaixonar.

A tua voz é singela e meiga,
o teu rosto chama por carinho,
os teus gestos são graciosos
e o teu sorriso sempre fofinho.
Um olhar teu faz-me tremer
como se tivesse frio.
Nem se um batalhão viesse ter comigo
tinha aquele delicioso arrepio.

E para terminar:
o nosso amor ainda é tão recém-nascido!
Diz-me, por favor, o que preciso fazer
para ele nunca ser destruído.

Estes versos são escritos
com genuína imaginação.
Mas o mais engraçado, meu amor,
é que, em vez de puxar pela cabeça,
quase que arranco o coração.

Carlos Adriano Alvarenga - 2.º THSTA



MÃE

Que em ti vejo toda a minha razão de viver,
que por ti vivo e sobrevivo,
que para mim és alegria,
paz e amor.
É a ti que eu amo,
é a ti que eu quero
e é por ti que me apaixono
todos os dias.
Contigo vivo e não me canso.
De ti, tenho saudades eternamente.
O teu olhar, a tua voz, o teu respirar…
A toda a hora me fazem falta!
Tu que me transportaste no ventre,
me viste na minha eterna nudez,
me ensinaste a andar,
me deste de comer,
me mostraste que as amizades enganam.
E sempre tiveste razão!
Tu és a minha eterna consciência,
o meu ver e sentir.
Sem ti, nada faria sentido.
Tu que me deste toda a alegria,
para mim, nada me faz mais feliz,
se não estar contigo.
Olhar para ti dá luz ao meu dia!
Uma palavra tua é vida em mim!
És tu que guardas na tua carteira
a minha fotografia,
me mostras com orgulho ao mundo
e nunca tens vergonha do que sou.
Cresci…
A menina saiu da moldura,
mas continua sempre a olhar-te
como quem espera sempre
pelo beijo de boa noite.

Joana Filipa Soares - 2.º THSTA




Muitos parabéns a todos os participantes pelo vosso entusiasmo e participação neste Concurso de âmbito nacional!
É sempre uma alegria e satisfação trabalhar com alunos motivados e empenhados na divulgação dos trabalhos que executam e na projecção do nome da Escola para o exterior.

Votos de boa sorte!

O Professor responsável,
José António Batista

Sem comentários:

Enviar um comentário